terça-feira, 12 de julho de 2011

Sombras, inversos, outros lados








Eu pertenço a aquele segmento de Taromantes e Tarologistas que encaram os lados B de cada Arcano como saudáveis para uma leitura.
Penso que esse aspecto enriquece, contribui e deslinda muitos pontos que passam silentes em leituras.

Quando embaralho então não coloco intencionalmente lâminas viradas, "dependuradas", mas sim as embaralho sem me preocupar se estão todas "em pé"...

Deixo por conta do Tarot a decisão sobre o que dele vai vir.

Hoje vou falar um pouco sobre esses inversos, lados B, ou sombras. 
Não dos 78 participantes, mas sim de alguns... 
E virão sendo paridos então paulatinamente as sombras dos arcanos.


Para O Louco, eu entendo que seu inverso nós indica exatamente uma contramão ao que este Arcano emite quando em posição em pé...
Ele agora convida a ouvir a voz interna que em todos há, chama nossa atenção para silenciar o exterior e dar ouvidos ao que guardamos. 
Sua sombra não é assim uma sombra obscura, seu inverso previne quanto ao futuro, impõe um pensamento menos célere sobre nossa caminhada, sobre o que nós espera na próxima parada.
Quiçá enfatiza que este é o momento de parar, deixar de fato de andarilhar e finalmente sentar seja aonde for para refletir quais caminhos dos já percorridos devemos novamente trilhar, ou qual via é a adequada para nosso amanhã.

Mas há também neste inverso uma sombra sobreposta: pode ser que o Louco invertido indique uma negação peremptória por parte do consulente a se deixar ir rumo ao desconhecido, por medos, por auto-estima baixa, ou por completa inercia inata...              
Denota assim a incapacidade em lançar-se ao novo, de arriscar, de deixar por conta do destino um caminho. 

O Mago invertido potencializa a habilidade que ele possui para engrupir, para fazer de conta, para ser mestre do ilusionismo. 
Por outro lado pode indicar que a pessoa em si não consegue se centrar, não consegue levar adiante "um" projeto pelo menos, dentre os mil que ela se propõe, e não por falta de meios, ela os tem a todos em mãos, mas por que a rapidez com que processa planos e desejos supera as esperas pelo ver acontecer. Com isto corrobora sua intenção de ilusão e auto-ilusão.
Pode também denotar falas dúbias, acontecimentos nada claros, denotar a ação de quem jamais consegue ser direto e assertivo...
Passando a vida manipulando os elementos que possui ao ponto de deixá-los ir, perdé-los.                                                                            
Aqui identificamos aqueles que sempre foram vistos como detentores de um potencial fabuloso, mas que jamais chegam a lugar algum.

Alguns podem ver neste Mago invertido de acordo ao caso, a indivíduos que almejam o poder, sabem como conquistar a confiança, e se tornam maquinadores ou titeriteiros precoces e perigosos...

Uma Sacerdotisa dependurada é uma energia feminina complicada... Pois nega para si e em si a capacidade que ela possui de intuir, de acurar o sexto sentido e ver além do que todos vislumbram, ela se apega por demais à racionalidade, porém duma forma quase veemente...
O que a torna enfadonha, inconsistente e companheira do superficial, em essência dada a uma intelectualidade múltipla porém sem bases, sem densidade, fazendo o gênero "do tudo sei" mas onde de fato lhe falta contexto e conteúdo. 
Negar seu feminino pode ser também uma das manifestações deste Arcano invertido. Seria como se a pessoa, caso seja a consulente, temesse assumir seu gênero, e todas as implicações que aqui moram... Algumas mulheres quando sendo uma Sacerdotisa invertida se mostram ao mundo assexuadas, amorfas. O perigo é que assim toda identidade se torna invisível.
Ao negar sua intuição fecha as portas ao mundo do oculto, ao que tange ao universo do esotérico. Em suma cerceia toda a energia nata da Sacerdotisa.


A Imperatriz invertida pode ser o retrato fiel daquela Rainha Má da fábula da Branca de Neves, assumindo um papel de controladora total, de mulher fatal que jamais admite coexistir com alguém semelhante a ela seja no aspecto que for.
Outro ponto a elencar deste Arcano inverso é a incapacidade de nutrir, de criar, e de permitir que outros criem se na sua companhia...
Uma amarra forte quanto ao passado também se manifesta, uma apego ao drama [aquele drama intencional para conseguir o que se quer dos outros], que emana de emoções que para ela não são normais, ou que ela espera sejam nutridas pelos demais por ela.
Ou seja toda sua energia criadora, maternal [não necessariamente de prole] é cortada. E direcionada a atos na maioria das vezes destrutivos, que via de regra recaem naqueles que não são por ela bem vistos.
No lugar da criação se dá espaço a um evento avassalador e destrutivo. Vemos assim a uma Imperatriz castradora, limitada e limitante... Seca, por não dizer árida.


O Imperador, este sim que já foi visto no seu aspecto sombra em ação "n" vezes seja em cenários mundiais ou locais, e ele anuncia sua chegada de longe, vemos fumaça e despojos com sua presença e após sua presença não ser mais física. E pode caracterizar personalidades totalitaristas, megalomaníacas... 
Assim como num entendimento mais cotidiano falaria de alguém que jamais teve controle sobre si, que dirá sobre seu mundo, seus interesses... Para este caso tomar decisões é algo sofrido, quando não sufocante.
Mas há também Imperadores invertidos que supõem que autoridade seja despotismo, e vemos aqui  a figura dos chefes, sejam laborais ou de família, que se impõem ao coletivo mediante a brutalidade em todas suas manifestações...

Ou pode este Imperador indicar um ciclo longo de decisões precipitadas, a anos luz da racionalidade.

Nos "próximos capítulos" mais arcanos sombra!


Sempre grata,

Luciana Onofre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

impressões de leitura

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...